Do fim-de-semana

Sábado.
Levantar tarde, muito tarde. Desejar boa sorte à prima que termina o curso. [Que nos degraus que tiveres de subir ao longo da vida tenhas sempre um corrimão onde te apoiar!] Levar um murro da ex-prima mais nova que, em jeito de macaquinha, tentava trepar por mim acima. Ficar de olhos esbugalhados com a esperteza da pirralha.
Tirar aquela que será a única fotografia de jeito do marido nos últimos... dez anos! Fazer tarte de amêndoa à uma da manhã. Ver o marido a comer salame de chocolate à uma da manhã.

Domingo.
Levantar tarde, muito tarde. Desesperar numa loja com o andamento em slow-motion das empregadas. Desejar poder/conseguir dar 600 euros em troca de um candeeiro lindo, lindo.
Estar com os amigos. Ver o sorriso deliciado de uma pessoa pequenina ao dar os primeiros passos sozinha. Sentir o cheiro da resina. Jogar pinha-ball. Quase ficar soterrada em caruma. Jogar pinha-ball. Rir. Jogar pinha-ball. Apanhar chuva. Jogar pinha-ball. Comer caracóis (e acreditar que para a próxima me sabem melhor). Jogar matraquilhos (e pinha-ball, não sei se já disse). Sofrer tentativas de boicote à sopa, mas conseguir fazê-la à mesma (uma vez sopeira, sempre sopeira eheheh ;-) ).

Hoje.
Marido com um escaldão no pescoço e braços. Eu com dores em tudo o que é possível doer no corpo humano. Responder ao "Vais nadar hoje?" com um escandalizado "Achas?!?!". Nódoas negras e mãos arranhadas. Sensação de ter estado um mês de férias.
the x marks the day: ,
publicado por outrosdias às 11:04
link do post | ver comentários (2)