Placenta

Lanço-me à água, recordando sensações. É como um regresso ao casulo, protegido, confortável, aquecido. Estou cansada, mas aquilo é mais forte. Dissolvo-me entre moléculas de hidrogénio e oxigénio (duas para uma... que interessa isso agora?) e esqueço-me de mim.

Não demoro muito a perceber que tenho silvos instalados nos ouvidos. Incomodam-me, porque não passam. Sou obrigada a sair, a recolher quase à pressa os meus pedaços. Perturbada, reconheço que talvez tenha mesmo de deixar passar algum tempo até lá poder voltar.

E isso entristece-me.
publicado por outrosdias às 10:41
link do post