"E se pintássemos a casa?"

Eu, o marido e o ser-peludo-que-vive-connosco éramos os habitantes e os vizinhos ideais para um prédio.

Ideais para chamar a polícia.

Desde que tivemos o privilégio de saber, em primeira mão, pé, costas e restante corpo arrepiado, o que é um cano rebentado e não ter águas quentes correntes, que o nosso lar, doce lar é um corrupio de barulho, confusão e obras. Depois dos maravilhosos encontros de terceiro grau com o Sr. Canosmen, seguiu-se uma mudançazinha na cozinha - IKEA, IKEA, IKEA, IKEA!! - e durante estas férias, num dos breves e raros momentos em que não estávamos nem na praia nem a dormir a sesta, saiu da boca de um de nós esta inofensiva e atraente sugestão:

- E se pintássemos a casa?

- Epa, boa ideia! E, JÁ AGORA, abrimos ali uma janela, pomos um extractor na casa-de-banho, empedramos aquele bocado, acrescentamos um muro, oferecemos um canil ao ser-peludo-que-vive-connosco, substituímos o telheiro, fazemos uma pala para a entrada e metemos relva nova, com um sistema de rega.

- 'bora?

- 'bora.
the x marks the day: , ,
publicado por outrosdias às 10:20
link do post